Archive for the 'Demências' Category

20
Out
09

Mais um abuso MS

Mais um abuso da M$!

Até quando seremos nós obrigados a tolerar isto?

Muitos utilizadores Win, não repararam que à uns meses, o WinUpdate instalou um add-on no seu Firefox. Ao contrario daqueles que o utilizador escolhe instalar, e que tem de autorizar, ficando com opção de desactivar e remover, este não pediu qualquer permissão, não informou o utilizador, e tinha estas opções de desactivar/remover desactivadas!

Mesmo os utilizadores de Vista, com o seu aborrecido UAC, nem assim, estavam protegidos (ainda acreditam nestas “protecções” e segurança Microsoft??!!).. pura ilusão.

À Mozilla Foundation, pedimos nós, que desenvolva um sistema de protecção, que ajude a impedir futuros abusos como este. (tipo um verificador que detecte alterações entre a última vez que foi encerrado??)

Cada vez mais, o caminho em termos de segurança, parece passar pelo uso das potentes capacidades dos actuais processadores, para usar a Virtualização. Um sistema base decente (Linux) com um ambiente Virtual (VMWare/VirtualBOX/…) correndo aí o Win com a aplicação que nos obriga a usar esta fonte de problemas…

Para quem deseje mais informações, deixo o link (em inglês).

18
Out
09

A quem interessa manter a RTP?

É cada vez mais legitimo e urgente, questionar a quem interessa manter a RTP no actual formato..

São conhecidos cada vez mais casos destes:

o Director de Inforrmação da RTP terá ido cear, juntamente com António Costa e a sua equipa, quando foram celebrar a vitória em Lisboa!..

(…)

O Director da Informação do canal televisivo cujas sondagens deram 12 pontos, três dias antes, e dez pontos, quando encerraram as urnas…

Enquanto isto, todos nós contribuintes, continuamos a financiar esta palhaçada:

A estação pública vai receber mais 62 milhões do Estado, através de um aumento de capital que compensa o pagamento da dívida

Lembram-se à uns poucos anos quando se comentava os “intervalos da TVI”? Honestamente, entre as 3 emissoras (RTP1,SIC,TVI) não me parece ser possível nos dias de hoje, os distinguir! Frequentemente acontece-me, quando mudo o canal por a TVI ter entrado em intervalo, encontrar também intervalo nas outras duas… e mais, a TVI chega a retomar a emissão, antes das outras..

18
Out
09

excesso velocidade

Acidente Autocarro em Stª Maria da Feira

Faz-me confusão, esta pressa em culpar sempre o “Excesso Velocidade“..

É cada vez mais notório, o constante uso do mesmo bode expiatório… só equiparável ao “Aquecimento Global” agora transvestido de “Alterações Climáticas“..

Nota: Não digo que neste caso concreto, até não tenha sido esse o motivo… mas é impressionante como é sempre sempre, esse o motivo! JÁ CHEGA!
12
Out
09

Lição para Lisboa? para o País?

Até concordo com o autor, quando diz “Mais depressa do que noutras terras de “gente culta”.“, veja-se o caso de Lisboa, ou de Braga. Bem que podiam aprender qualquer coisa..

Alias, o País todo..

E já agora, porque não inclui nesta secção outros “famosos” autarcas? Que Isaltino se demarque dos demais pelo julgamento, até posso entender.. mas quando incluem outros, deveriam ir buscar muitos mais. Mas não, o caciquismo Socialista e de esquerda em geral, não os deixa..

Ainda quanto a Oeiras, não ouvi nem li, nada mais verdadeiro, nem melhor, nem nada que se assemelhe, ao que o Bruno Alves escreve n’ O Insurgente. O exemplo que nos deixa é um sério factor a ter em conta:

Para perceber o que se passa em Oeiras, é preciso perceber onde fica Oeiras. Sendo um concelho suburbano, com muitos habitantes trabalhando nos concelhos em seu redor, os eleitores oeirenses conhecem, e observam quase diaramente a realidade desses outros concelhos. Sempre que alguém me pergunta o porquê das vitórias de Isaltino, dou este exemplo: qualquer pessoa que ande de carro em Oeiras percebe quando atravessou a “fronteira” com Cascais, Lisboa ou Amadora. De repente, as estradas têm mais buracos, o alcatrão está mais gasto, as ruas mais sujas e, em redor, aumenta o caos urbanístico.

Pela net, e mesmo nas TV’s, cheguei a ler e a ouvir, que não entendiam que o povo disse-se “ele rouba, mas faz” (sou franco, conheço bem Oeiras, vou lá muitas vezes e faço estadias, e nunca ouvi tal coisa.. Onde costumo ouvir isso, é mais a norte, numa cidade sem Mar, onde costumo me deslocar quando vou fazer formação numa Prestigiada SoftwareHouse Portuguesa)… Os Sr.s comentadores, jornalistas e blogueiros, talvez não tenham ainda pensado que poderá estar a ir na cabeça de muitos eleitores, é algo mais deste género “Se ele rouba e fez aquele Concelho…que raio andam a fazer os outros?

Disclaimer: Eu não tenho qualquer conhecimento, ou provas, de se alguém rouba, corrompe ou é corrompido, nem sequer digo nem insinuo que alguma destas pessoas o faça ou esteja envolvido. É apenas o que se comenta na televisão, imprensa, enfim, de domínio público. A presunção de Inocência é um bem muito caro, e que toda a gente o merece, até prova em contrário, em tribunal, transitado em julgado, segundo a Constituição e Leis vigentes.
12
Out
09

O PS perdeu as Legislativas?

Bem, eu hoje fiquei estupefacto ao saber que afinal, o PS perdeu as Legislativas de 27 Setembro.

Não? Como não? Seguindo esta lógica, o PS perdeu milhares de votos, tem menos deputados, até tem menos do que PSD+PP, ou seja tem menos do que tinha obtido nas eleições anteriores.. Que é que interessa que tenha o maior numero de deputados? É igual!

Nota: Por acaso até nem é nada igual! Nas Autárquicas, muito mais do que Europeias e Legislativas, as Pessoas contam e muito! Além de existirem movimentos independentes, que explicam muita coisa, como deixei aqui explicado o caso de Vila do Bispo, ou até em Matosinhos (Se virmos as coisas, Narciso foi buscar mais votos ao PSD que ao PS). Mas sobre isto, não vi uma única linha, não ouvi uma única frase dos comentadores. E deixo a pergunta, quantos mais casos destes não haverá no País inteiro.

12
Out
09

Pergunto o mesmo, ao autor..

Se não fosse quem é, e das provas que já nos deu, até perguntava ao autor, o mesmo que resolveu dar como titulo. Se um dia o autor a recuperar (e deve bastar uma delas) poderá ser que venha a conseguir fazer post’s mais isentos e verdadeiros como este, entre tantos outros..

Mas pronto, até se entende, sabendo a azia que este facto lhe provocou

29
Set
09

“cultura da irresponsabilidade”

“O governo britânico quer acabar com o que chama de “cultura da irresponsabilidade” que se tem vivido nas instituições financeiras.”, anuncia a Euronews..

Muito bem…

PARA QUANDO UM PLANO IDÊNTICO A ESTE, MAS PARA POLÍTICOS E GOVERNANTES ????

Alistair Darling, ministro das Finanças do R.U., afirmou “Não vamos permitir que a ganância e a irresponsabilidade voltem alguma vez a colocar em perigo a economia global e a vida de milhões de pessoas”.

É caso para dizer, «Olhem para o que dizemos, não olhem para o que nós fazemos»

27
Set
09

Fundamentalismos…

Penso que hoje, mais do que qualquer outro dia, senti aquilo que fundadores e primeiros seguidores de movimentos como os ecologistas, entre tantos outros, tem vindo a sentir nos últimos tempos… O extremismo e fanatismo associado à causa… Perdeu-se a objectividade, assim como a razão…

Sejamos francos, no mundo real, independentemente do factor, circunstancia ou matéria, nada é  sempre 100% melhor que o seu concorrente. Na verdade, é um jogo de compromisso.. A pode ser melhor que B,C,D em 90% dos casos, mas certamente nos restantes 10% B,C,D também terão as suas vantagens, que sobrepõem-se a A..

Nesta altura, estarão a pensar, “mas de que raio é que ele está a escrever?“, e ainda bem.. pois até agora apenas descrevi um cenário genérico, que qualquer pessoa de bom senso deve aplicar a tudo na vida. O motivo da minha escrita, é a desilusão de ver a que ponto chegou o fanatismo na software livre/ANSOL.

Esta iniciativa não pode ser vista como boa pelos adeptos de software livre, tal como não devia de ser considerado negativo a votação contra ela, porque de facto, era uma má iniciativa! Violava um dos valores que eu, e espero que a maioria dos Portugueses, mais respeito e admiro, a LIBERDADE DE ESCOLHA! Apesar de admitir excepções no seu Art.4º, o Art.1º dizia expressamente :

Todos os serviços do Estado estão obrigados a utilizar software livre nos seus sistemas e equipamentos informáticos, sem prejuízo do disposto no artigo 4.º.

E de como bem gostam todos quantos querem um Estado ultra-regulador, deixava a excepção demasiado ambígua, a ponto de poder ser usada não por parecer de técnicos que testemunhem a sua veracidade, mas sim na mão de políticos..

E é exactamente neste direito à liberdade de escolha, em conjunto com o gasto racional e mais conveniente do dinheiro dos contribuintes, que a Posição Geral do PSD se encontra, que optou por um texto único (tal como o MEP) em vez de uma resposta às Perguntas enviadas pela ANSOL. Mas vai mais longe..

Esta posição geral, quanto a mim muito sensata, ressalva um dos aspectos mais fundamentais da defesa dos consumidores, a interoperabilidade! Não há nada mais limitador da liberdade de escolha, do que a incompatibilidade entre diferentes sistemas. Como explicar que em pleno ano 2009, uma empresa que pretenda mudar de Sistema, no qual gastou centenas a milhares de Euros, não pode transportar a informação para o novo Sistema, que também lhe custará idêntico valor?

Ou explicar que apesar dos elevados gastos em software, o simples transporte da informação comercial da empresa para a contabilidade (que como sabemos na generalidade das micro e pequenas empresas e de muitas médias, é efectuada num gabinete externo à empresa), esta tem que ser novamente toda digitada?

Ainda a respeito da liberdade de escolha diz o comunicado “Para nós, o princípio da liberdade de escolha é um valor virtuoso que o Estado deve proteger e, se possível, promover.” (…) “Em cumprimento dos princípios da liberdade de escolha e da igualdade de oportunidades antes referidos, o Estado pode e deve ser um factor activo de divulgação e promoção destas diferentes opções. Não acreditamos, contudo, que esta aposta deva concretizar-se pondo em causa o chamado “software proprietário”. A liberdade de escolha pressupõe que não surjam elementos discriminatórios que a distorçam.”

O PSD colocou a questão exactamente na forma como ela deve ser encarada (destaques meus):

Quanto à utilização destas ferramentas de trabalho pela Administração Pública, o princípio deve incontornavelmente guiar-se pela eficiência. Impõe-se uma criteriosa avaliação casuística dos custos e benefícios associados a cada situação.

A resposta do MEP também se aproxima a esta ideia, embora também queira ver “considerados o grau de incorporação nacional no produto final oferecido”

A conclusão, não pode ser mais evidente e esclarecedora (destaques meus):

Assim, perante esta situação, importa rejeitar qualquer discriminação e olhar para a eficiência das soluções concretas, salvaguardando sempre os princípios da liberdade de escolha e da igualdade de oportunidades.

Uma Proposta de Lei que obrigue, seja a Administração Pública, ou (ainda mais inaceitável) os Privados, ser encarada como uma boa Proposta, é não só violadora do mais elementar conceito de liberdade de escolha, como reveladora de um fanatismo e/ou o defender do mais repugnante aspecto dos lobby’s.

O Software Livre não deve ser discriminado, por ser livre, por não ter uma Grande Corporação por trás; mas não deve igualmente ser o escolhido apenas por que é Livre!

Nota1: Muito estranho que a ANSOL/Software Livre, não recomende um voto CONTRA os que contrataram o site Base, tendo eles próprios desenvolvido o Transparência-PT para colmatar as deficiências do primeiro, entre tantas outras denuncias efectuadas no Software Livre. Alias, a resposta do PS às questões enviadas, tem o descaramento de referir o Base, de falar de imensas iniciativas que tomaram, mas sem referirem os acordos e entregas sem concurso publico à Microsoft. Mas apesar de tudo isto, conseguem-lhes atribuir uns 53%

Nota2: Ainda em relação a respostas e pontuações, é lamentável que a ANSOL não veja (ou não lhe interesse ver) que a posição da Esquerda é mais “ideológica” contra o “Malvado” Capitalismo/Imperialismo (o alvo dos ataques é a Microsoft/EUA) do que propriamente favorável ao Software Livre. No caso do BE uma chuva de disparates ao ponto de defender o PDF, embora no PCP pareça haver alguma coerência, e o caso do PCTP/MRPP não deixa de ser engraçado ter tanta referência contra a Microsoft, mas a própria resposta é enviada no formato dessa Software House.

Nota3: Ficou mal ao CDS-PP não ter enviado qualquer resposta. Poderia até nem ser favorável ao Software Livre. Um país livre, requer o contraditório, alias é assim que se alicerça uma boa decisão.. ouvindo os argumentos dos que são favoráveis, e conhecendo os contrários. É dessa ponderação, que nascem as boas escolhas!

15
Set
09

Alguém me diga que isto não é assim…

É isso mesmo que eu peço.. que alguém me diga que isto não é bem assim.. que é um exagero de leitura, e que nem sequer passa pela cabecinha dos meninos da DGCI e Gestapo Seg.Soc., dar este tipo de tratamento…

“As retribuições do trabalho vão ser mais oneradas com o aumento dos encargos sociais. Subsídios de refeição, ajudas de custo, utilização de automóvel da empresa são exemplos de despesas abrangidas pelo novo Código Contributivo. Além da incidência de IRC à taxa de 10%, estas despesas vão ser oneradas pela Taxa Social Única, representando um encargo adicional de 34,75%.

(…)

Trabalhadores independentes, desportistas, IPSS, pré-reformados, reformados e até padres vão ter agravamento nos custos da actividade, sem obter contrapartidas.

(…)

É o caso do subsídio de refeição, ajudas de custo, utilização de automóvel da empresa, prémios livres, assim como todas as retribuições adicionais que possam ser atribuídas pelas empresas aos seus colaboradores. Estas despesas, que estavam isentas de Taxa Social Única e dentro de determinados limites estavam também isentas de IRS, passam a ser fortemente tributadas, representando um encargo adicional de 34,75% em Taxa Social Única (23,75% a cargo das empresas e 11% a cargo dos empregados).

(…)

Para um automóvel com o preço de venda de €25000, por exemplo, as empresas já estão sujeitas a tributação autónoma de IRC à taxa de 10%, ou seja, €2500. Com o Código Contributivo, vai acrescer TSU de 23,75% para a empresa e de 11% para o empregado, gerando um encargo adicional de €8687,5. Ou seja, só em IRC e TSU vai haver uma tributação adicional de 44,7% do PVP a somar ao ISV e IVA pagos na compra.

Esta roubalheira TEM de acabar!

Se foi para isto que se andou a dar “baliout” e afins à banca e industria automóvel, então não vão resultar, já que vai tudo para a falência/desemprego! Porque estas medidas são incomportáveis!

17
Mar
09

DEP – essa praga!

Depois de uma pequena ausência, eis o regresso.

Hoje para deixar o registo (e até a solução, espero) a essa praga que é o DEP!

Há uns tempos para cá, esta função do MSwin, começou a “estoirar” o Firefox…. hoje lembrou-se de começar a implicar com o Opera! Pode ser paranóia minha, mas cá para mim a MS deve querer usar esta ferramenta para recuperar o domínio do IE.. mas pode ser paranóia minha.. o facto de pelo interface gráfico, podemos Activar para todos, ou activar todos menos os programas que seleccionarmos.. só que nem Firefox, nem Opera estão autorizados a desactivar… strangeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Senão vejamos, o DEP supostamente será para proteger contra ataques de hackers e outros amigos indesejados.. Que melhor maneira para instalar o pânico no utilizador comum, do que usar esta ferramenta para fechar programas concorrentes que lhe estão a dar uma coça? 😉

Com uma pesquisa rápida, encontrei esta solução.

Basicamente, basta abrir uma linha de comandos em modo administrador e escrever:

bcdedit.exe /set {current} nx AlwaysOff <Enter>

Reiniciamos o computador, e é suposto estarmos livres desta praga!




Visitas

  • 12.683 carregaram na campainha

Calendário

Agosto 2020
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31